Entrevista com a Escritora JackMichel

2

Bom dia leitores. 

Hoje trago para vocês Entrevista com a Escritora JackMichel, que publicou seu primeiro livro em outubro/2015 pela Chiado Editora, como também sua biografia e outras informações bacanas sobre ela.

JackMichel como mencionado acima, publicou seu primeiro livro “Arco-Jesus-Íris” em outubro de 2015, pela Chiado Editora. Para o segundo semestre de 2016, já fechou contrato com a Drago Editorial para o lançamento de mais quatro obras suas: “LSD Lua”, “1 Anjo MacDermot”, “Sorvete de Pizza Mentolado x Torpedo Tomate” e “Ovo”. O tema do conteúdo que escreve é variado visto que possui livros escritos nos gêneros ficção, poesia, romance e conto de fadas. JackMichel participará do Salão Internacional do Livro de Turim, que acontecerá de 12 à 16 de Maio 2016.


  • Biografia 


JackMichel é o nome artístico de duas escritoras: Jaqueline e Micheline Ramos. São irmãs e nasceram respectivamente em 20 de fevereiro e em 30 de novembro, na cidade de Belém, Estado do Pará (Brasil). Sua obra é ampla e pode ser descrita entre romances, contos e poesias. O estilo de escrita de JackMichel foi influenciado por autores mundiais clássicos de diversos gêneros literários como Oscar Wilde, Hans Christian Andersen, Lewis Carrol, Edgar Allan Poe, Eça de Queirós, Machado de Assis, dentre outros. JackMichel professa o lema “ESCREVER É VIVER”.

  •  Sobre Arco-Jesus-Íris


Na colorida época do Flower Power Satanás decide visitar o arco-íris psicodélico de Jesus Cristo e, lá chegando, o louro e jovem Jesus hippie, vestido de jeans, conta a ele como faz para fazer o bem vencer o mal e o leva a conhecer os 7 círculos de seu arco-íris, que são 7 círculos de cores diferentes: no Círculo Violeta ele encontra Sharon Tate e Charles Manson, bem como as demais pessoas envolvidas no caso Tate... no Círculo Anil ele encontra Mao Tsé-Tung e os chineses massacrados durante a Revolução Cultural... no Círculo Azul ele encontra Heinrich Himmler e os prisioneiros mortos nos campos de concentração nazistas... no Círculo Verde ele encontra a Talidomida e algumas crianças deformadas pela pílula... no Círculo Amarelo ele encontra Jim Morrison e as entidades indígenas que o levaram a morte... no Círculo Alaranjado ele encontra Oscar Wilde e os responsáveis por sua tragédia particular... no Círculo Vermelho ele encontra Thomas Blanton e as vítimas do atentado de uma igreja batista em 15 de setembro de 1963. Após constatar que o mal realmente não existe naquele paraíso, Satã vai e conta ao mundo que é tempo de Paz e Amor.




  • Entrevista com JackMichel



1. Como surgiu a ideia de começar a escrever?

Bem... eu comecei a rascunhar meus primeiros textos com cerca de uns 12 anos de idade, ainda em minha adolescência, quando eu lia poetas do século XIX com a mesma velocidade que se come pipocas. Jack, minha irmã e parceira literária, muito antes de mim já pegava na pena. Anos mais tarde, visto que ambas haviam armazenado sobremaneira material literário, resolvemos juntar tais calhamaços. Então, tivemos uma ideia para mover este tão estático meio da literatura convencional composto por ilustres escritores e escritoras: dar vida a uma terceira pessoa, a autora JackMichel que é o produto da junção de dois estilos de escrita diferentes: um, racionalmente prático e outro, utopista e visionário.

2. Como está sendo firmar esta parceria literária com sua irmã?

Precisamente como eu supunha, quero dizer, da maneira mais efetiva que o possível. Confirmo com júbilo que eu e Jack acertamos na mosca branca quando decidimos criar JackMichel, que possui o slogan “a escritora 2 em 1”.

3. O que a escrita representa para vocês?

Para JackMichel a escrita é a passagem para um mundo onde as transparentes bolhas de sabão furta-cor não estouram... que dá passagem para um outro mundo em que voar é preciso... que dá passagem para um outro mundo no qual as borboletas viram flores... ou, por outra, é criar sempiternamente dentro do universo imponderável da imaginação, que não tem confins e nem oferta dixe para tomar depois.

4. Percebi que o livro de estreia faz uma leitura bem fantasiosa sobre o binômio Jesus e Satanás, do ponto de vista bíblico. De onde surgiu inspiração para esta linha de abordagem?

A inspiração para a composição da obra “Arco-Jesus-Íris” foi a própria década de 60, que revolucionou o século XX com sua moda, jargão, movimentos e cores. Como o bem e o mal andam lado a lado, qual o dia e a noite, JackMichel decidiu personificá-los nos maiores artífices que os estereotipam: Jesus Cristo e Satã; e, como uma coisa puxa outra, logo surgiram as vítimas e os algozes que protagonizaram antigos casos que escandalizaram a opinião pública e que o tempo nunca esqueceu. Sou de opinião que é lícito descortinar tais horizontes para as novas gerações, visto que espargir a cultura não é só ofício dos mestres nas escolas, é também, tarefa do escritor que tem compromisso para com o seu amável público leitor.

5. Vocês seguem alguma crença?

Oh, em absoluto! JackMichel sintoniza apenas com os fluídos benéficos do grande Universo e, em razão disso, recepta as energias que emanam de sua força positiva: é assim de acordo com a tese da Lei de Causa e Efeito, preconizada pelo Espiritismo. Mas embora não professe rituais e nem faça uso de amuletos, a autora reverencia sinceramente todas as crenças religiosas que grassam no mundo de hoje num número tão grande que não dá para se contar nos dedos da mão. 

6. Como foi escrever seu primeiro livro, Arco-Jesus-Íris?

Muito natural. Entretanto, declaro aqui que esta obra não foi a primeira escrita pela autora que possui imenso material literário arquivado, onde há muitos livros escritos nos mais variados gêneros ficção, poesia, romance e conto de fadas. Destarte, tendo mantido tal produção de escritos guardada por anos, agora só precisa ir ao baú de suas criações e lançar mãos delas: uma espécie de pirata na Ilha do Tesouro. Alguma coisa assim.

7. Percebi que os próximos livros a serem lançados este ano possuem títulos peculiares. De onde partiu a inspiração?

A inspiração dos títulos das obras de JackMichel sempre parte do estro de Jack que, sem esperar, brilha como um lusco-fusco de pirilampo dentro do jardim noturno das ideias em momentos muito especiais de criação.

8. A palavra LSD comumente é conhecida associada a uma droga psicotrópica de efeitos devastadores. A associação escolhida LSD Lua veio com uma chamada sob nova perspectiva? E vocês de alguma forma temem que seja feita associações deturpadas quando ao título da obra?

Veja bem: o título “LSD Lua” adveio essencialmente da inventividade de Jack, que cria sem a intenção calculada de atingir este ou aquele alvo, como é no Arco e Flecha. Por consequência, não há relação alguma entre a lua, satélite da Terra, e a poderosa droga sintética que foi um dos símbolos da contracultura dos anos 60. “Quem tem medo de lobos não vai à floresta” disse Lenin... e JackMichel não escreveu esta obra fabulosa temendo que ela possa provocar depravações nas mentes humanas; a autora a vê como a pedra lapidada de um anel que brilha diante dos olhos de quem a lê.

9. Achei fantástica terem sido influenciadas por autores clássicos. Este primeiro livro ou os próximos 4 que serão lançados possuem uma influência direta destes clássicos sobre as estorias a serem abordadas nestes?

Confirmo que já tive minhas constantes e incansáveis horas de leitura. Isso é mesmo fulcral na vida de uma pessoa das letras, pois para vestir o estilo com as sumptuosidades da gala e da festa, é preciso antes frequentar a melhor elite da literatura mundial. Porém, creio que o dom da escrita é um talento inato que se traz consigo, e, tanto “Arco-Jesus-Íris” como as demais obras de JackMichel que serão publicadas, não possuem diretamente as impressões digitais dos muito apreciados autores clássicos.

10. Como vocês vêem hoje o mercado da literatura nacional?

Mais ou menos como uma imensa vitrine onde tem um pouco de tudo: terror... romance... infantil... policial... fantasia... erótico... ficção... auto ajuda... e algo mais. É tarefa um tanto difícil o leitor se achar nela; mas é louvável que seja assim considerando-se que surgem novas editoras que abrem suas portas a autores que estão à sombra e precisam apenas de uma chance para tirar seus manuscritos da gaveta. Pois quantos talentos às vezes se perdem por não poder mostrar-se? 

11. Como surgiu a oportunidade de irem para o Salão internacional do livro em Turim?

Tomei conhecimento do XXIX Salão Internacional do Livro de Turim nos editais do Jornal Sem Fronteiras, que publicará matéria sobre JackMichel na edição de Abril/Maio. Tal periódico cobre este importante evento literário que ocorre anualmente na Itália. No mais, posso dizer que a Associação Cultural Internacional Mandala, que tem presença tradicional no Salão do Livro, oferece aos escritores brasileiros o ensejo de expor suas obras no exterior, além de promover o intercâmbio cultural literário entre Brasil e demais países do panorama internacional. 

12. Como estão os corações com a expectativa de divulgar a primeira obra de vocês a nível internacional?

Tudo em ordem com os movimentos cardíacos de JackMichel: sístole e diástole sob controle. A autora já se habituou a ver tudo isso como algo que efetivamente tem de acontecer em sua carreira; pois é inelutável que a fama chegue para ela, haja vista já ter acenos positivos de várias editoras do exterior para lançar suas obras em outros países, além da nossa pátria amada Brasil. 

13. O que vocês esperam causar nos leitores com a leitura de seus livros?

As emoções que estiverem contidas na carga de energia das palavras que compõem cada uma dessas obras extraordinariamente apaixonantes. Sic et simpliciter.

14. Onde é possível adquirir as suas obras?

Em Portugal, além do site da Chiado Editora, o livro “Arco-Jesus-Íris” também pode ser adquirido em papel (sob encomenda) nos seguintes locais: Fnac, Sonae, ECI, Bertrand, Almedina, Auchan, Bulhosa, entre outros. Em e-book ele está disponível na Apple iBookstore, Barnes & Noble, Sony, Kobo, Diesel ebook Store e Baker & Taylor. No Brasil ele está à venda na Livraria Cultura (http://www.livrariacultura.com.br/p/arco-jesus-iris-46098023). O book trailer desta obra está no Youtube para todo o mundo conferir.

15. Estamos chegando ao fim da entrevista...Agradeço pela entrevista e confiança depositadas no Blogando Linhas. Gostariam de deixar uma mensagem aos leitores?

Com prazer. Embora não seja de minha autoria, vou deixar: “A seu turno a Gramática abria-se como um cofre de confeitos pela Páscoa. Cetim cor de céu e açúcar. Eu escolhia a bel-prazer os adjetivos como amêndoas, adocicadas pelas circunstâncias adverbiais da mais agradável variedade; os amáveis substantivos! voavam-me à roda, próprios e apelativos, como criaturinhas de alfenim alado; a etimologia, a sintaxe, a prosódia, a ortografia, quatro graus de doçura da mesma gustação. Quando muito, as exceções e os verbos irregulares desgostavam-me a princípio; como esses feios confeitos crespos de chocolate: levados à boca, saborosíssimos.” (Raul Pompeia, O Ateneu).



  • Mídias Sociais


* Facebook: https://www.facebook.com/EscritorasJackMichel/
* Twitter: https://twitter.com/JackelMichel
* Instagram: https://www.instagram.com/escritorasjackmichel/
* Google+: https://plus.google.com/112246483579431089961/posts
* Tumblr: http://escritorasjackmichel.tumblr.com/
* Pinterest: https://br.pinterest.com/escritorasjackm/





  • Outras entrevistas realizadas com JackMichel


* Entrevista de JackMichel ao Divulga Escritor:
http://www.divulgaescritor.com/products/entrevista-com-as-autoras-jackmichel/

* Leia a entrevista de JackMichel na 19ª Edição da Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia - Ano IV - N.19 - abr/mai 2016
http://bit.ly/22nZ6dV

* Varal do Brasil divulga livro Arco-Jesus-Íris de JackMichel
http://varaldobrasil.blogspot.com.br/2015/10/livro-arco-jesus-iris.html

http://varaldobrasil.blogspot.com.br/2016/02/livro-arco-jesus-iris.html

* Matéria publicada no site Cafeína Literária sobre o livro Arco-Jesus-Íris e a autora JackMichel
http://www.cafeinaliteraria.com.br/2016/04/11/divulgacao-arco-jesus-iris/

* Beco Literário publica matéria sobre o livro Arco-Jesus-Íris e a autora JackMichel
http://becoliterario.com/conheca-o-livro-arco-jesus-iris-de-jackmichel/

* Entrevista com JackMichel publicada no site Beco Literário
http://becoliterario.com/entrevista-com-jackmichel-autora-de-arco-jesus-iris/




[ Resenha ] O Médico da Humanidade e a Cura da Corrupção - Augusto Cury

0
Oioioi leitores!

Bom, hoje trouxe um dos novos lançamentos do Augusto Cury, se não me engano seu lançamento se deu no último dia 28. Eu vi sobre ele na própria fan page do escritor e fiquei roendo as unhas de ansiedade. 

Os motivos que me levaram a comprá-lo em parte foi realmente por conta da temática da corrupção, tema este super atual e veiculado entre as mídias de forma bem frequente sobretudo nas últimas semanas e em segundo, porque achei que teria uma abordagem específica relacionada a religiosidade. Entretanto, no que se refere à abordagem esperada, ele foi bem diferente, e ainda sim me surpreendeu e conquistou. 

O livro aborda a história de um Advogado Criminalista, que entrou na politica e está concorrendo a Presidência do País. Confesso que foi uma surpresa para mim, porque só descobri a similitude com a minha profissão quando comecei a ler e isso aguçou ainda mais meu interesse. Pois bem, na época dos preparativos para as Eleições, Napoleão, este advogado, se vê dentro de um avião com uma pessoa que se intitula de H e que coloca em xeque suas crenças e convicções; fazendo literalmente as construções do seu intelecto ruírem em pouco tempo, questionando sobre seus valores, atitudes e o rumo que sua vida tomou. 

Pense em uma pessoa fascinada? Essa pessoa sou eu. 
Pode-se dizer que o livro é dividido em duas partes, a primeira trata do Napoleão ser humano com suas atitudes, neste primeiro momento ele é conduzido a seu passado por várias vezes e suas crenças e convicções construídas ao longo dos anos são desconstruídas. 

Cury com muita propriedade narra um personagem que aos olhos sociais seria um exemplo de conduta e bem resolvido em todos os aspectos de sua vida, porém ao longo da leitura percebemos a sua fragilidade como ser humano, o que é a realidade de todos nós, com seus erros e acertos. 

Já a segunda parte do livro, tem um enfoque claro ainda sobre a personalidade e valores de Napoleão, entretanto adentra na seara política, trazendo alume alguns ícones nos campos politico, filosófico e cristão da História e ideologias dessas épocas. Pessoas como Sócrates, Jesus, Hitler e temas como a guilhotina da Revolução Francesa, a negação de Pedro e o julgamento de Sócrates. Eu achei espetacular a abordagem, pois como psiquiatra, Cury aborda não só a história, mas traça aspectos comportamentais importantes além dos históricos das pessoas narradas por ele, o que trouxe uma riqueza sem precedentes para o livro. Assim, trabalhando a questão da corrupção muito além do campo político, mas também relacionado a valores.

Ele também faz uma análise critica sobre a sociedade moderna, imersa na era digital e que vem se tornando preguiçosa no intelecto, como também superficial em seus vínculos relacionais.

Aborda como o ser humano está cada vez mais tendencionado ao "Ter" do que ao "Ser", ou seja, os valores materiais que ele detém vem se sobrepondo aos valores morais, à família e seu ideal de felicidade está associado ao poder. 

Neste ponto me recordei do Editorial constante na Revista Adventista de Abril, com o tema Felicidade. O tema do editorial deste mês é A Arte de Ser Feliz, e o Editor da Revista, Marco Benedicto, falou duas coisas que achei interessantíssimas:

" O problema é que, à medida que a riqueza aumenta, as expectativas das pessoas também crescem, o que levaria a um declínio na sensação de felicidade, o chamado paradoxo de Easterlin."

O paradoxo de Easterlin é um conceito-chave em economia da felicidade (happiness economics). É assim designado a partir do seu autor, o economista e professor da University of Southern California Richard Easterlin, que analisou os factores que contribuem para a felicidade num capítulo do livro de 1974. De acordo com a Universidade de Kent, o paradoxo explica que, "rendimentos elevados têm correlação com felicidade, mas, a longo prazo, não existe correlação entre o aumento do rendimento e o aumento da felicidade". (Fonte: Wikipédia)

A segunda está relacionada ao ter. Dessa forma, percebe-se que essa politica do ter, tem sido responsável pela frustração de muitas pessoas. Pensamos que tendo um bom carro, dinheiro, uma boa casa teremos assim encontrado a felicidade, mas a felicidade é um conjunto de coisas. A qualidade dos nossos relacionamentos são fundamentais nesse processo.

E o editor diz: "Para conseguir a felicidade, você não precisa esperar pelas circunstancias ideais".

Penso que a grande mensagem do livro, pelo menos para mim é que o ser humano não pode esquecer de seus valores, princípios; pois são eles que nos dão base inclusive emocional. E é necessário buscar resolver seus conflitos, e não fugir deles. 
Para se tornar uma pessoa feliz, bem resolvida e equilibrada é necessário lidar com seus fantasmas, seu passado, medos e inseguranças, senão nos tornaremos prisioneiros de nossas próprias emoções. 

Em uma palavra, o livro é Sensacional! 
Extremamente questionador, intuitivo e abrangente. Cury me conquistou totalmente, fiquei realmente fascinada com sua escrita, conhecimento e como fez um passeio em diferentes campos, com grande sabedoria.

Quanto à diagramação, achei ótima. Letras medianas, páginas amarelas, proporcionando conforto na leitura e acreditem se quiser, pelo menos só encontrei um erro de grafia na página 108, o que acho um milagre. 

Vale muito a pena adquirir. Recomendo a todos!

* Quotes favoritos *

" O povo é soberano, sem dúvida, mas, em tempo de estresse político e econômico, os eleitores rebaixam sua consciência crítica, procuram salvadores da pátria, podendo eleger sociopatas ". 

" - Você é um ladrão?

   - Assalto mentes egocentricas e toscas, mas não o sou.
   - É um sequestrador?
   - Sequestro a ignorancia, mas não o sou ". 

"Ninguém pode ser um grande líder se não consegue  liderar sua aeronave mental. Como pretende gerir uma nação, se não pode gerir seu orgulho?

" Todo o ser humano cedo ou tarde beja a lona da sua tremenda fragilidade ".

" O que me preocupa é que temos a mais poderosa indústria de lazer de todos os tempos, mas, paradoxalmente, estamos diante da geração mais ansiosa e triste que pisou nesta terra ".

" O sofrimento por antecipação vampiriza quase toda a humanidade ". 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...