Vanessa Sueroz: Livros e Contos

2

Boa tarde leitores!
Hoje trago um pouco sobre os livros e contos da escritora parceira, Vanessa Sueroz.

Confusões em Paris

Edição: 1
Editora: Ixtlan
ISBN: 9788563869555
Ano: 2011
Páginas: 222

Público alvo: Juvenil
Formato: Impresso
Gênero: Comédia Romântica

Sinopse: "Como foi que isso tudo aconteceu mesmo? 
Eu nem ao menos entendi como meus pais concordaram em me dar dois dias de folga da escola. Eu sei que já tenho idade suficiente para perder aulas… Ter dezessete anos hoje em dia não é nada fácil, mas perder aula? Que graça tem ficar em casa se não posso nem entrar na internet? 
— Alguém me explique como eu fui me meter nessa encrenca toda? Por que eu fiz isso? 
— Não nos olhe com essa cara Paty. Você concordou! — disse Gabriela me olhando entediada. 
Como não vou olhar para ela assim? Tudo deve ser culpa da Gabi. Ela que é amiga dos garotos! Essa carinha de anjo dela não me engana! 
— Por que não para de pensar em como aceitou e tenta se divertir um pouco? — me perguntou o César, mais entediado que a própria Gabi. 
Como vou me divertir estando a caminho dos piores quatro dias da minha vida? Em quatro dias vão acontecer às piores coisas da minha vida. Meu Deus! Eu fui sequestrada e pelos meus melhores amigos.”. 

Minha última chance

Edição: 1
Editora: Independente
ISBN: 0
Ano: 2012
Páginas: 75
Público alvo: Juvenil
Formato: Digital
Gênero: Comédia Romântica
Sinopse: "Não sei por onde começar, mas a minha vida perfeita terminou!" "Sou Igor Cintra, prazer. Faço faculdade de medicina na melhor faculdade do país, período integral, infelizmente. Atualmente moro em uma república próxima da faculdade. Moro na república com meus grandes amigos Cláudio, Vagner e o Daniel.” "Eu sou loucamente apaixonado pela Hel, mas ela nunca aceitou um convite meu nem ao menos para tomar um sorvete na esquina.” "O importante é que em um belo dia o Cláudio, que adora aprontar por aí comigo, teve uma brilhante ideia que mudou a minha vida. Tudo bem que não se pode confiar nos planos malucos do Cláudio, mas como o Daniel também achou uma boa ideia, eu resolvi entrar nessa história maluca e ter uma chance de conquistar a Helena." "Uma aposta... Somente uma aposta e eu teria finalmente a minha chance, a minha última chance."


Odiado Admirador Secreto

Edição: 1
Editora: Independente
ISBN: 9781492859949
Ano: 2013
Páginas: 215
Público alvo: Juvenil
Formato: Impresso e Digital
Gênero: Comédia Romântica
Sinopse: Paulinha está doida para que termine logo o ano e ela possa finalmente terminar a escola, o que ela não esperava era que coisas estranhas começassem a acontecer com ela. Rosas começam a aparecer em todos os lugares que ela vai. Ela vai comer e tem uma rosa no garfo, ela vai se trocar e tem uma rosa no guarda roupas, ela vai ler um livro e lá estão às rosas novamente, agora não se pode nem ir mais ao banheiro em paz por que as rosas também aparecem dentro da privada. Só tem um pequeno detalhe, Paula odeia rosas! Quem será essa pessoa desagradável que está perseguindo Paulinha por todas as partes com as malditas rosas? Uns dizem que é um admirador secreto, mas Paulinha acha que é o seu odiado admirador secreto. A questão é: Como se livrar dele?

Três Botões


Edição: 1
Editora: Independente
ISBN: 0
Ano: 2009
Páginas: 15
Público alvo: Juvenil
Formato: Digital
Gênero: Comédia Romântica
Sinopse:  Será que ele não sabe que ele está lindo vestido assim? Que a camisa do uniforme tem que se manter todos os botões fechados? Sério! Isso é uma tentação.








Eu te Amo mais


Edição: 1
Editora: Independente
ISBN: 0
Ano: 2009
Páginas: 20
Público alvo: Juvenil
Formato: Digital
Gênero: Comédia Romântica
Sinopse: Marlene resolve escrever uma carta ao namorado lhe contando porque ela lhe ama mais e quais as consequências disso.






Presente de Aniversário


Edição: 1
Editora: Independente
ISBN: 0
Ano: 2013
Páginas: 96
Público alvo: Juvenil
Formato: Digital
Gênero: Comédia Romântica
Sinopse: Marcos, está fazendo 18 anos e seus amigos resolvem dar uma grande festa para comemorar, mas quem pensa que as comemorações vão ficar por aí está muito enganado. Seu melhor amigo, Gabriel, resolve abrir um concurso para o melhor presente, mas ninguém sabe que sua ideia é que ele mesmo ganhe o concurso, senão para que iria criá-lo? Uma história, um concurso, um ganhador, dois pontos de vista e dois concorrentes fortes: Ele: O melhor amigo, lindo e maravilhoso e merece o título e tem o melhor presente de todos. Ela: A única que não irá a festa porque o aniversário de Marcos é sempre no pior dia do ano.
Quem vencerá está batalha? Cruzem os dedos e boa sorte aos participantes!

Beijocas e até a próxima!

[ Resenha ] Romance à Maneira de Deus - Eric e Leslie Ludy

0
Boa tarde leitores!

Hoje trago a resenha desse livro excelente, Romance à Maneira de Deus. 
A história desse livro comigo é bem antiga. Há uns 5 ou 7 anos atrás +/- em minhas pesquisas na internet cheguei a ele, até o indiquei à uma pessoa e enviei por e-mail para ela. Pouco depois eu imprimi e encadernei. Durante todos esses anos ele esteve em minha mesa e eu de vez em quando olhava ele, quando a arrumava, mas nunca parei para ler uma só página. Depois de todos esses anos, voltei a ter um contato com ela e o assunto do livro veio à tona, e resolvi me dar a oportunidade então de finalmente ler o livro.

Romance à Maneira de Deus conta a história real de Leslie e Ludy, no que tange à vida sentimental. Ele é bem interessante, e indicado principalmente para o público jovem, homens e mulheres; em primeiro lugar porque ele traça o ponto de vista tanto da Leslie quanto do Ludy em capítulos alternados e em segundo, porque a introdução dele aborda as mudanças pelas quais passamos desde que entramos na adolescência, a chamada Puberdade. O que leva a você leitor a sentir certa afinidade com eles dois. 

O interessante é que a leitura soa um tanto interativa, no sentido de que em muitos momentos no decorrer da leitura, quando você se questiona sobre determinadas coisas, os dois fazem menção a justamente tal indagação e respondem a essa pergunta que paira em sua mente. 

Não é fácil dizer isso a você que está lendo essa resenha agora, mas confesso que chorei durante o decorrer da leitura, em boa parte dele porque me identifiquei com a Leslie quanto aos sentimentos e erros que cometeu quando o assunto é o coração. Existem pessoas que são mais sensíveis que outras, confiam demais e terminam se magoando a cada relacionamento que vivenciam.

Penso que nós seres humanos temos uma tendência típica de pensar que sabemos de tudo, aconselhamos até mesmo pessoas, mas diante de muitas situações nos tornamos incapazes de poder enxergar determinadas coisas por estarmos muito envolvidos ou ter uma visão distorcida dos fatos. E isso nos leva a dor, muitas vezes profunda e devastadora. O livro mostra justamente isso, as vezes queremos tanto algo que saímos atropelando etapas, conceitos, princípios visando o nosso objetivo. 

Tempo. Uma palavra que está associada ao nosso dia-a-dia. Temos que ser rápidos em tudo que fazemos, porque o tempo corre rápido demais, a vida é curta, temos que viver a vida, o que ela oferece. E isso muitas vezes representa uma armadilha. Nos relacionamentos, temos que ser cautelosos. Quando damos nosso coração de verdade a alguém, isso representa algo tão grandioso que precisamos de cautela. O ato de entregar o nosso coração e confiar não combina com impulsividade, não combina com velocidade. É preciso ser um ato principalmente de paciência. 

Achamos muitas vezes que sabemos o que é melhor para nós, mas Deus que conhece o nosso coração, a nossa vida e sabe o que é essencial para nós. O inimigo, usando a cultura do mundo incute na cabeça das pessoas, como o livro cita, que o Melhor é o Bom, existe assim uma tendência a desesperança de você encontrar alguém realmente de valor, e sendo assim se a pessoa te oferece um pouco daquilo que você quer já lhe basta, mesmo que isso venha atrelado a muitas coisas negativas, ou seja, pior inimigo do MELHOR é o BOM.

O livro mostra sobretudo que nós estarmos no controle da nossa é perigoso, principalmente no campo sentimental. A bíblia fala que o coração do homem é enganoso, por isso mesmo cautela é importante e quando já estamos envolvidos não somos capazes de avaliar claramente as coisas.
Sendo assim, o que devemos fazer é deixar Deus no controle, porque somente ele sabe o que é essencial para nós. Não é fácil; é necessário fé, confiança e abdicação. Tarefa difícil, saber esperar em um mundo que nos conduz para o sentido oposto. Mas se você tem Deus como seu guia, que está no centro da sua vida, se você já passou por muitas decepções estando você no controle, quem sabe agora você não deva dar uma oportunidade a Deus fazer isso por você? Não tenha pressa, no sentido de ser algo imposto, mas ore a Deus para que você seja capaz de entregar a ele sua vida sentimental e que você seja paciente para o que ele tem para você. 

Quando Deus tira algo de nossas vidas, pode ser por três motivos. Primeiro, para que você perceba que na sua vida você pode viver sem qualquer coisa ou pessoa, só não pode sem ele. Ele tem que estar no centro de tudo. Segundo, ele tira hoje para futuramente lhe devolver melhor ainda. Terceiro, ele tira agora, mesmo você vindo a sofrer, porque sabe que se isso for levado adiante pode ser tão devastador que você pode se perder na dor ou em um caminho muito perigoso, de perdição. E sabe que lá na frente você terá algo que realmente lhe fará feliz e que você mereça.

Sendo assim, para sabermos o propósito de Deus precisamos deixar nas mãos dele nossa vida e sabermos esperar nele, para que ele nos mostre o verdadeiro caminho.

Acho que esse livro foi lido no momento certo. Na época que o encontrei eu não era convertida, eu não tinha Deus como o comandante da minha vida, então acho que eu não teria dado o devido valor as palavras de sabedoria que ele traz. Mas cada um tem seu momento, sua espiritualidade, e independente disso, da sua religião, se você acredita em Deus e em seu poder esse livro é para você. E saiba de uma coisa, nada é por acaso. Você pode estar lendo isso aqui por um motivo.

Esse livro eu achei em pdf facilmente, numa busca pelo Google. Mas vi que na Livraria Cultura ele também é vendido sob encomenda, para comprar clique aqui.

Beijocas.



[ Resenha ] A Morte de Sarai - J. A. Redmerski

1
Bom dia!

Hoje trouxe a resenha desse lançamento da Editora Suma de Letras. Quando li a sinopse, achei bem interessante, mas sem dúvidas o que me levou a ler o livro foi a J.A. Redmerski. Depois de Entre o Agora e o Nunca, me apaixonei pela sua escrita, e a forma como ela conduz a narrativa da história. E nesse novo livro, mudando totalmente a temática em relação a Entre o Agora e o Nunca, a J. A surpreende, nos deixando apaixonados mais uma vez.

A Morte de Sarai conta a história da Sarai, uma jovem que foi levada pela sua mãe para o México, pois ela se envolvera com Javier. Não demorou para que este olhasse a menina com outros olhos. Com a mesma idade, a menina passou a viver em cativeiro se tornando uma escrava sexual por assim dizer, desde os seus 14 anos e há 9 anos esse tormento fazia parte da sua realidade. Durante os 9 anos, ela sempre quisera fugir, mas lidar com pessoas envolvidas com o tráfico de mulheres é extremamente perigoso e qualquer falha, pode ser fatal.

Em uma transação realizada por Javier, seu dono por assim dizer, com um assassino chamado Victor reacende em Sarai a chance de recomeçar. Ela percebe de cara que o Victor é tão perigoso quanto Javier e representa, por esse motivo, uma chance real de fuga daquele lugar.

Sarai então se arrisca e investe em fugir valendo-se da presença do Victor; o que ela não imaginava era que ele pudera ser tão diferente e frio diante da sua realidade. 

O destino dos dois se cruzam e não é nada fácil esse contato inicial dos dois, imagina só que ela ameaça um assassino a sangue frio, chame isso de desespero ou tolice. O fato é que Sarai é capaz de tudo para recomeçar, nem que tenha que se aliar com um assassino. 

Essa relação entre os dois acarreta muitas confusões e reviravoltas para ambos, mas ao final termina sendo uma surpresa para eles.

" Ele mudou as cores da paleta, de básicas para um arco-iris - por mais que as cores desse arco-íris sejam escuras -, e não há um dia em que eu não pense nele ou na vida que poderíamos ter ". 

Minhas impressões:

Como mencionei no início da resenha, peguei o livro para ler por conta da autora. O livro é excelente!. Ele tem um traço bem marcante que é a questão da análise psicológica da Sarai. Trazendo a tona a pertubação e o possível desvio de caráter de uma pessoa diante da realidade a que se é exposta. Ela era uma jovem com sonhos, que são destruídos por uma experiência traumática que é de ser escravizada sexualmente, perdendo qualquer chance de definir o seu destino. E no decorrer do livro, observamos como as vezes lidamos com determinados eventos traumáticos.

" Acho que agora sei como é quando uma pessoa passou metade da vida na prisão e é solta no mundo de novo. Ela não sabe o que fazer consigo mesma, não sabe como voltar a se inserir na sociedade. Fica o tempo todo olhando por cima do ombro. Não consegue acordar mais tarde do que cinco da manhã, nem acreditar que pode escolher o que comer e quando comer. Violência, escuridão e confinamento fazem parte dela a tal ponto que metade do seu ser nunca aprende nenhuma outra forma de viver ".

Bom, Freud explica que nosso subconsciente muitas vezes camufla lembranças que temos e sentimentos, é uma espécie de mecanismo de defesa. E por mais que no decorrer do livro, tenha passagens que provoca na gente certo pavor e reprovamento pelo comportamento da Sarai, vemos que é totalmente compreensível e aceitável. Uma defesa, uma forma que ela encontrou de auto preservação.

Com relação ao Victor, que é um assassino frio e calculista, confesso que me colocando no lugar da Sarai, me vi vítima da Síndrome de Estocolmo mesmo, logo no início do livro. De imediato, gamei nele! rsrs...tenho problemas sérios! SOS....rsrs...mas se engana se você pensa que ele age como uma flor de pessoa com Sarai, pelo contrário. Mas de alguma forma, diante daquela armadura, representada por um homem extremamente atraente, frio e calculista, existe um coração. 

" Não posso me sentir realmente atraída por um homem como ele, posso? Um homem que matou sabe-se lá quanta gente. Não importa que eu me sinta a salvo com ele, ou que confie nele; a verdade é que ele é o que é, e eu seria idiota se achasse que ele não me mataria se considerasse isso de alguma forma necessário ".

Está aí algo que eu admiro nos personagens da J.A; ela constrói uma história extremamente rica em detalhes e com personagens com uma forte carga emocional, geralmente perturbados por eventos vivenciados e de certa forma, nos identificamos com eles em algum ponto, porque todos nós temos nossos "fantasmas" por assim dizer, fatos que nos perturbam. Eu gosto muito de livros com essa abordagem psicológica.

Em relação à química entre os personagens, achei um tanto semelhante ao outro livro dela, Entre o Agora e o Nunca, algo um pouco mais escancarado, me lembrei logo de Andrew e Camryn. A todo tempo, quando conhecemos um pouco do passado dos personagens, torcemos por Victor e Sarai. E com relação, a tornar as mulheres escravas sexuais, me lembrei do livro A Lista do Nunca, porque ele também aborda esses conflitos que os personagens passam diante desse evento.

É fantástico, com uma narrativa instigante. Eu comecei e não consegui desgrudar até terminar, li em 5 horas as 255 páginas em Ebook, porque não só tão rápida assim. Ele é cheio de ação, eu ficava inquieta lendo sem saber o que viria em seguida, me senti no cinema! rs

Não é um livro que vem abordar o tráfico de mulheres, fala mais superficialmente. Mas aprofunda sim nos efeitos que podem causar a alguém exposto a essa realidade e o quanto tendenciosos tais pessoas ficam a determinadas atividades, transformando sua personalidade. 

A Morte de Sarai é o primeiro volume de uma série chamada Na Companhia de Assassinos, por enquanto contando com 5 livros. Entrei em contato com a editora, eles pretendem lançar os próximos volumes, porém não têm ainda cronograma definido. =(



* Para comprar:


#DEGUSTAÇÃO - A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart

4
Boa tarde leitores! Tudo bem?

Bom, recebi da Novo Conceito a degustação do lançamento do mais novo livro da editora; A Mais Pura Verdade do Dan Gemeinhart. Todos os que se inscreveram para parceiros de 2015, receberam a degustação. Achei bacana a iniciativa da editora em mandar a degustação, mesmo para os não selecionados. O lançamento do livro está previsto para 23 de março.

A Mais Pura Verdade conta a história de Mark, um jovem de 12 anos que possui Câncer. Com esse diagnóstico e diante da sua realidade de dor e efeitos colaterais advindos não só da própria doença mas também dos remédios, ele decide mergulhar em uma aventura. Já que morreria, que fosse fazendo algo que ele sempre quis fazer, talvez desse um sentido mais significativo a sua vida, ou ao que restava dela.

Decidido, ele coloca uma mochila nas costas levando consigo seu amigo fiel, o Beau. Mark não enfrentará momentos fáceis, mas a todo momento apesar da consciência pesar em certas ocasiões ,ele mantém o foco na viagem, que é chegar à Montanha Monte Rainier e escalá-la. 

Minhas impressões:

A Mais Pura Verdade conta a história de um jovem com câncer, mas de forma diferente. Acho que muitos remetem a mente ao livro A Culpa é das Estrelas, mas não acho semelhanças entre eles a não ser o tema câncer, porque o livro de John Green penso que traz muito lamento de como se é viver com o câncer, já esse apesar de tecer em dados momentos sobre os sintomas da doença, o jovem Mark avalia as coisas sempre por uma nova perspectiva, mas sem esse lamento. 

Achei interessante o fato de ele questionar coisas que os adultos fazem constantemente que é fugir da realidade que é justamente o oposto que Mark faz, trazendo à tona sem retoques determinadas questões ou de como também os adultos nutrem sentimentos e se apegam à coisas que só as levará ao sofrimento.

Isto é uma coisa que eu não entendo: por que as pessoas gostam de levar consigo uma coisa que as faz lembrar de que suas vidas estão indo embora. 

É um livro que nos leva à reflexão. Confesso que no início, comecei não muito animada porque achei que seria apenas um livro que trataria do câncer, de uma perspectiva triste. Mas ele me surpreendeu; é notório que nos comovemos com a história de Mark, ainda mais que ele é uma criança, mas a forma como ele encara os fatos, se mantendo firme em seu objetivo nos cativa. Estou ansiosa para saber o desfecho dessa aventura.

Em breve, vocês conferem aqui.

Beijocas



Vanessa Sueroz: Prêmios

1

Hoje vamos falar um pouco da nossa autora parceria que em 2006 começo a escrever fanfics no falecido Orkut e chegou até a ganhar prêmios por algumas delas.

Para quem não conhece, fanfic, é um tipo de literatura onde os fãs escrevem história novas sobre personagens ou cenários já existentes. No caso da Vanessa ela escreveu muito sobre nosso querido Harry Potter, ou melhor, sobre os pais dele.

Segue alguns prêmios que a autora ganhou nesta época:

Maior número de leitores:

Ano: 2006


Por: Fanfics Harry Potter – orkut

Fic Mais engraçada

Ano: 2007

Fic: O melhor presente de Aniversário

Por: 3 Vassouras

Melhor Fic Marota

Ano: 2007


Por: 3 vassouras

Fic mais criativa:

Ano: 2009

Fic: Os botões de Potter

Por:Need For Fic

Melhor adaptação de filme:

Ano: 2011


Por: Penseira

Fanfic mais popular (universo marotos, long):

Ano: 2012


Por: Fanfiction.net



Autora tem uma coleção de fanfics de comédia romântica na internet e no seu blog que já podem nos ajudar a conhecer seu trabalho.

* Segue os links para quem quer conhecer as fanfics:

[ Resenha ] Um Mais Um - Jojo Moyes

16
Um mais Um conta a história paralelamente de duas pessoas substancialmente diferentes. De um lado um Geek, Ed Nichols, gênio da computação, que apesar de ter sucesso profissional no setor amoroso é conturbado, assim como a relação com sua família; um solitário em potencial. E do outro, Jess, uma faxineira, com dois filhos e um cachorro, abandonada pelo marido, que se desdobra em empregos para sustentar a família com o pouco que tem; uma mulher destituída de sonhos, pois estes foram deixados no passado, há muito tempo atrás.

Como os destinos dos dois se cruzam....Ed, após um momento de carência se envolve com uma mulher, paixão de adolescência e no dia seguinte sua vida vira de cabeça para baixo, sendo acusado de repasse de informações privilegiadas sobre o lançamento de um novo software. Seus advogados, diante disso sugerem que ele dê um tempo, se afaste. Então ele vai para a sua casa de praia e é justamente lá que ele conhece a Jess.

Absorto em seus problemas, o Ed nunca parou e se deu conta realmente da presença da Jess que semanalmente arrumava a sua casa. Até um acontecimento os aproximar, e os dois embarcarem numa viagem juntos. E essa viagem termina sendo reveladora e surpreendente para ambos.

Minhas impressões:

Quando vi o lançamento de Um Mais Um livro da Jojo eu pensei: Meu Deus, amo a Jojo mas vou passar a leitura desse livro para mais tarde. Porque quem já leu pelo menos um livro dela sabe que ela nos envolve demais com a história e possivelmente nos levará às lágrimas. Foi exatamente isso que aconteceu comigo quando li Como eu era antes de você. Eu definitivamente tive um misto de emoções e quis "matar" ela pelo desfecho e pelos sentimentos conflitantes que ela me fez passar! rs. Porém, quem gosta de um bom romance não consegue resistir, não eu, e terminei me jogando no livro da Jojo. 

Um Mais Um eu achei um livro fabuloso! Não chorei, como aconteceu com Como eu era antes de você, mas fiquei com o choro preso na garganta por me identificar com certas emoções descritas e situações. Não considero uma história triste, mas em muitos momentos é carregado de dor. É um livro que se torna envolvente justamente pelo lado humano, rico em emoções e situações comuns que nos levam necessariamente a visualizar algo em comum com nossas vidas. E não me refiro ao relacionamento do Jess com o Ed, mas toda a atmosfera que envolve a vida dos dois juntos e separados.

Teve momentos que ri muito, de gargalhar mesmo, com situações tão simples mas bonitas justamente por isso: pequenos detalhes, grandes momentos. Eu me apaixonei pelo cachorro, o Norman, talvez pelo fato de eu ter perdido meu amigo fiel no último sábado dia 14, Cadu; foi confortante penso eu vê a autora detalhar tanto ele assim e ressaltar o papel de um bichinho de estimação, de doar amor, de ser companheiro.

Ademais o livro aborda também o universo adolescente, bullying, os desafios de ser mãe, o nascimento de um amor improvável, os erros e acertos do ser humano e o quanto nossas atitudes podem definir tudo. Muitos temas positivos, marcantes e concatenados de forma única. 

A Jojo sempre tem a capacidade de nos encantar com seus livros, mas confesso que ela ainda conseguiu me surpreender. Se você procura um romance fofo, estilo Chick-lit, você não vai encontrar; mas, uma história com aspectos reais, com personagens reais, que nos conquista pela simplicidade e acentuada emoção intrínseca no decorrer de cada linha. S2

Leitura mais que recomendada! 

Beijocas.


* Para comprar:




[ Parceria ] com o Autor Breno Melo

6
Bom dia!!!

Mais uma linda parceria vim anunciar para vocês e mais um escritor nacional! Os nacionais só têm me conquistado; surpresas boas!

Quando li a sinopse me ganhou de cara, amo livros que tenham essa temática psicológica. É interessante adentrar nos mistérios da mente humana. Ansiosa!

Conheçam agora o Breno Melo.

  • O Autor


Breno Melo nasceu em 1980, na cidade do Rio de Janeiro. Foi indicado para Poeta do Ano pela Sociedade Internacional de Poetas mais de uma vez, em 2002, 2003 e 2004. Participou da antologia "The Best Poems and Poets of 2003", com o poema "Hazel Eyes", e da antologia "The Best Poems and Poets of 2004", com a composição "That Girl". Também foi selecionado para "The International Who's Who in Poetry", incrível obra mundial que conta com participantes de vinte e cinco nações ao redor do globo e reúne, segundo a Sociedade, os poetas mais interessantes que ela encontrou ao longo dos catorze anos anteriores.






  • Sobre A Garota que Tinha Medo

* Autor: Breno Melo
* Data de publicação: Dezembro de 2014
* Número de páginas: 280
* ISBN: 978-989-51-2331-5
* Colecção: Viagens na Ficção
* Género: Ficção


Sinopse

Marina é uma jovem que faz tratamento para a síndrome do pânico. Às voltas com o ingresso na universidade, um novo romance e novas experiências, Marina tem seu primeiro ataque de pânico. Sua vida vira de cabeça para baixo no momento mais inapropriado possível e então psiquiatras e psicólogos entram em cena. Acompanhamos suas idas ao psiquiatra e ao psicólogo, o tratamento farmacológico e a psicoterapia. Ao mesmo tempo, conhecemos detalhes de sua vida amorosa e sexual, universitária e profissional, social e familiar na medida em que elas são marcadas pela síndrome. Um tema atual. Uma excelente obra tanto para conhecimento do quadro clínico como entretenimento, narrada com maestria e de uma sensibilidade notável.







  • Para adquirir o livro, visite o Site da Chiado Editora: aqui
  • Skoob do livro: aqui
  • Facebook do Breno Melo: aqui

Em breve, resenha.

Até a próxima!

Vanessa Sueroz: A Escritora

0
Bom diaaa!

Ao longo do mês de fevereiro estarei trazendo uma série de informações sobre a Escritora Vanessa Sueroz, como sua biografia e obras literárias. 

Lembrando que a Vanessa Sueroz foi a primeira parceira do Blog, a primeira de muitas que o Blog conquistou ao longo desses quase 2 anos de existência.

Obrigada pela confiança Vanessa!

Nome: Vanessa Sueroz
Data de Nascimento: 20/04/1990
Localização: São Paulo – Capital
Formação: Ciência da Computação
Resumo: Vanessa Sueroz nasceu em São Paulo, fez faculdade de Ciências da Computação e trabalha como Analista de sistemas em São Paulo. Começou a escrever com 8 anos de idade e começou a publicar fanfics em 2006 para conseguir um público leitor para publicar finalmente seu primeiro livro em 2011 e hoje escreve para o público livros leves e divertidos para os jovens.

Vanessa é escritora voltada para o público jovem e adora uma comédia romântica, e, além disso, também mantem um blog de resenhas e até mesmo um canal no Youtube com dicas para leitores e autores.


Já conhece o trabalho da autora? Então pegue um autografo online hoje mesmo:


Semana que vem tem mais! =)



House of Cards: de tirar o fôlego!

0
Fala, galera! Sejam bem-vindos ao nosso primeiro post falando, exclusivamente, sobre séries de TV.
Tenho uma notícia excelente! Guardem esta data: 27 de Fevereiro de 2015. Neste dia, estreia a 3° temporada de House of Cards, série premiada e original Netflix.



A série, criada por Beau Willimon, começou o ano de 2015 muito bem. O prêmio Screen Actor Guild, concedido pelo Sindicato dos Atores, premiou Kevin Spacey na categoria: Melhor Ator de Série Dramática. Além desse, em 2013 a produção se tornou a primeira websérie a arrebatar o Emmy, a grande premiação da TV americana, com o prêmio: Melhor Diretor por Série Dramática para David Fincher, dos filmes “Clube da Luta”, “Seven – Os Sete Pecados Capitais, “O Curioso Caso de Benjamin Button”. Outros prêmios vieram do Creative Arts Emmy Awards, onde venceu por Elenco de Série Dramática e Direção de Fotografia.
Bom, se vocês ainda não conhecem, devem estar se perguntando: “Do que se trata esta série”? Vamos falar um pouquinho.
Sinopse:
House of Cards é uma séria de drama político. Uma adaptação de outra de mesmo nome da BBC baseada no livro de Dobbs Michael. Kevin Spacey é o protagonista e vive Francis J. Underwood (Frank) um político inteligente, articulado, sagaz, influente e inescrupuloso, que busca um alto cargo hierárquico em Washington, D.C.. Para ele, não importa como tenha que fazer e quais pessoas precise influenciar, pois o seu objetivo é único: PODER!!!
Dá para dizer que temos uma proposta de trama muito boa, com conflitos e desejos implícitos que conduzem os personagens à ações que chocam. – Sim, meus amigos, algumas vezes fiquei de boca aberta e esqueci de respirar por alguns segundos. – No entanto, não podemos afirmar que existe um herói, ou melhor, talvez este, se misture à figura de anti-herói e vilão.
A trilha de abertura, composta por Jeff Beal, dá um clima de mistério e tensão. Faço aqui uma analogia, como se a música fosse um pensamento recorrente, daqueles que ficam martelando e martelando na cabeça, insistindo por aquela ideia até que seja executada. Ou simplesmente: “Uma pulga atrás da orelha”. Por ai, é possível ter um termômetro do que esperar.

Estão gostando? Ficaram curiosos? Péra ai quem têm mais. Vamos dividir entre 1° e 2° temporadas só para “aguçar o paladar”, certo? É claro, com cuidado para não dar spoilers. No entanto, pode ser que não seja possível em algum momento. Por isso: tomem cuidado!
1° temporada:
O cargo de Secretário de Estado, prometido à Frank, democrata da Carolina do Sul, pelo Presidente dos Estados Unidos, é dado para outra pessoa. Isto estimula o seu desejo de vingança por todos os envolvidos nesta “conspiração”.
Frank começa um jogo político, realiza uma série de alianças e articulações para derrubar seus oponentes e assumir posições além daquela que lhe fora oferecida inicialmente. Isto implica em revelar segredos obscuros da oposição e, acreditem, aliados políticos, inclusive. Destruir a carreira e por que não dizer, a vida de alguns envolvidos, explorando suas fraquezas; aquilo que há de mais podre e frágil em suas vidas. Nada ficará em seu caminho!
Claire, interpretada por Robin Wright, é a esposa de Frank. Uma doce e elegante mulher; cúmplice e aliada poderosíssima de seu marido, até mesmo em situações improváveis para  as regras conjugais, faz justiça ao ditado: “Por trás de um grande homem, sempre há uma grande mulher”. Ela  é proprietária e executiva de uma organização não governamental.

A fortaleza encontrada por Frank em Claire, é mostrada com maestria nas cenas noturnas em que fumam próximo à janela, repassando a agenda do dia, tramando, apoiando um ao outro e se declarando amorosamente, é claro! A janela, figura simbólica nesta ocasião, deixa passar e se perder na noite, toda a fumaça de um dia tempestuoso. No silêncio e frieza da escuridão, sente-se também as chamas de uma paixão pouco usual.


As palavras de seu marido: "Eu amo essa mulher, eu a amo mais do que tubarões amam sangue", reforçam o quanto a sua esposa é peça fundamental em suas investidas rumo ao poder.
Outro ponto importantíssimo e que dita o ritmo da 1° temporada, é o jornalismo investigativo. Este, encabeçado pela jornalista Zoe Barnes, vivida por Kate Mara.

A busca pela verdade que rasteja sob a maciça mentira e intrigas dentre as paredes da Casa Branca, seduz qualquer repórter jovem e ambicioso. Expor os fatos, dizer a verdade à população e provocar a crítica em busca por justiça, ficam em 2° plano; sucumbi ao status e ao poder – núcleo central desta série – e mostra que todos podem ser corrompidos: basta encontrar um ponto fraco. Este é o conflito que promove um envolvimento profundo entre Zoe e Frank, uma aliança que facilitará o vazamento de informações importantes, derrubarão os fracos e erguerão os fortes. Será? Uma doce e arriscada ilusão.
2° temporada:
Quando você acha que já viu de tudo... nossa! É quando percebe que muito mais ainda está por vir. Não é spoiler, mas a empolgação pede que eu mencione uma frase sobre a relação entre Frank e Zoe nesta segunda temporada: “segundos sem respirar”. Este ponto resume o ritmo que a série toma, quando a imprensa, com o seu jornalismo investigativo, dá lugar a momentos com mais “ti ti ti”, fofocas, mídias impressas, que promovem uma verdadeira bagunça na vida privada dos personagens. Em alguns episódios, ficamos embasbacados com segredos revelados entre eles, seus desejos, vontades, suas crises comuns que, se expostas, explodirão em uma onda de insegurança não permitida para uma nação tão “cheia de si”.
Há escândalos, envolvimentos amorosos, crises conjugais entre o Presidente e a Primeira Dama e, principalmente, há a constatação de que a imagem está acima de tudo. Aqui, o marcante slogan: “Imagem não é nada, sede é tudo”, perde seu sentido, pois ver os sorrisos, mãos levantadas, acenos e pronunciamentos genéricos, vale mais do que ações concretas que reduzem o desemprego e elevam a qualidade na educação.
O crescimento de dois personagens, secundários no início, promove um conflito latente que precisa ser evitado a qualquer custo. Raymond Tusk, vivido por Gerald McRaney, amigo do presidente e um rico empresário e, Rachel Posner, uma garota de programa, interpretada por Rachel Brosnahan, ameaçam expor os podres do governo somados à sujeira da vida pessoal de Frank.


A sensação é... como se você estivesse tapando com as mãos vários buracos surgidos em sequência nas paredes de um dique.
Qual será o destino de Frank? Em sua busca incansável pelo poder, conseguirá ele alcançar o cargo máximo? Qual seria esse cargo e que implicações terá na vida daqueles que o cerca?
Comentário geral
Se vocês ainda não assistiram, não se enganem se primeiro episódio parecer meio... “parado”. É normal! Aliás, a primeira parte de qualquer série, também conhecida como piloto, geralmente é feita para apresentar o programa aos investidores e executivos. Fato é: sofrem mudanças, ganham dinamismo e adaptações que as tornam grandes e viciantes. 
No piloto, também é o momento de apresentação dos personagens, breves exposições sobre suas vidas, rotinas e etc. Mas, como isto não deixa de ser um gosto pessoal, pode ser que a simples palavra “política” não agrade alguns. No entanto, esta e outras séries produzidas e exibidas por meio do streaming, além da qualidade visual, dão ao usuário maior conforto e liberdade. Neste caso, não é necessário esperar uma longa semana para ver o próximo episódio, pois a temporada é disponibilizada na íntegra. Você escolhe quando e onde assistir e se parar no meio, continua de onde parou. Quem sabe, esta sequência ajude a definir se a série é ou não, perfeita para vocês. Na minha opinião, afirmo: House of Cards é de tirar o fôlego!!!
Esta série é uma foto ampliada da política americana e de todas as pessoas de seu núcleo. Talvez, um pouco do que haja nos bastidores da política mundial, já que... política é política, né? Contudo, este conceito vivido na prática por Frank, faz com que nos envolvamos com ele. Um recurso muito interessante é a sua interação direta com a câmera, que simula uma conversa com os espectadores e tece comentários sobre a situação da cena em andamento, expondo o seu ponto de vista e articulando seu próximo passo. Sem que vocês saibam e queiram, se tornam cúmplices de Frank.


Não gostamos dele em muitos momentos e torcemos por ele em vários outros, mesmo que a situação seja a mais errada e improvável. A profundidade desse personagem e sua eloquência, confunde a nossa cabeça e permite que façamos alianças silenciosas conosco em seu favor. Se pensarmos que no final da década de 30, um homem iniciou um movimento e também provocou este mesmo sentimento de identificação, levando uma nação a segui-lo e a promover um genocídio de forma covarde, podemos pensar que o povo está no comando, pois é justamente este povo que promove e dá poder ao seu líder. O psiquiatra Jung, dizia que a ascensão de um ditador é a manifestação das doenças de uma sociedade, logo, é de se questionar: o quanto a sujeira embutida nesta série, refere-se somente aos políticos ou aos americanos que os elegem? Aliás, é só da sociedade americana que estamos falando?
Fecho este post com o trailer da 3° temporada e uma das frases mais marcantes de Frank Underwood, elucidando muito bem a reflexão acima:
"Estou a um passo da presidência sem um único voto ter sido dado a mim. A democracia é tão superestimada".


Trailer


1° temporada
Ano: 2013
Episódios: 13
2° temporada
Ano: 2014
Episódios: 13
Elenco temporadas:
·         Kevin Spacey como Deputado Francis J. Underwood - Frank Underwood;
·     Robin Wright como Claire Underwood, a esposa de Frank;
·     Kate Mara como Zoe Barnes, uma repórter do jornal The Washington Herald; 
·         Corey Stoll como Deputado Peter Russo;
·         Michael Kelly como Doug Stamper, o Chefe de Gabinete de Underwood;
·         Kristen Connolly como Christina Gallagher, assistente executiva que de Russo;
·         Sakina Jaffrey como Linda Vasquez, Chefe de Gabinete do novo presidente;
·         Constance Zimmer como Janine Skorsky, jornalista e colega de Barnes;
·         Sandrine Holt como Gillian Cole, parceira de Claire em sua organização;
·         Sebastian Arcelus como Lucas Goodwin, editor do The Washington Herald;
·         Michael Gill como Presidente Garrett Walker, presidente dos Estados Unidos;
·         Dan Ziskie como Jim Matthews, vice-presidente dos Estados Unidos e ex-governador da Pensilvânia;
·         Den Daniels como Adam Galloway, fotógrafo profissional;
·         Mahersha Ali como Remy Danton, lobista que trabalha para uma companhia de gás natural;
·         Gerald McRaney como Raymond Tusk, rico empresário e amigo pessoal do presidente;
·         Boris McGiver como Tom Hammerschmidt, editor executivo do The Washington Herald;
·         Jayne Atkinson como Senadora Catherine Durant, nomeada Secretária de Estado;
·         Rachel Posner, como Rachel Brosnahan, garota de programa e arma secreta de e contra Frank.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...